terça-feira, 31 de dezembro de 2013

O CASEIRO VELHO COMEU MEU CU

Eu comecei a trabalhar em um olaria, daqueles que fabricam telha e artefatos para cerâmica, e logo no começo reparei que só tem homens por aqui, e alguns com umas picas bem grandes (já andei espiando ;x). Mas sei disfarçar muito bem, até que nunca ninguém percebeu, e também apesar do meu tesão por rola, nunca dei uma mancada né, afinal isso poderia simplesmente acabar com minha vida, me traria um monte de problemas e digamos que não estou afim de enfrentá-los agora... Até que certo dia um senhor que é caseiro aqui, começou com algumas brincadeiras que sinceramente achei meio estranho, mas me deixava levar, ele sempre me falava com risos “eu sei que você gosta de uma rola, vou comer seu cú uma hora”, eu também dava risada e falava para ele “sai fora”, e nessa brincadeira ficamos por alguns dias. Mas parece que o Sr. Caseiro que aparentava ter seus 50 anos estava realmente falando sério, porque agora quando estávamos sozinhos ele aumentava o nível das “cantadas”, e com aquela “bulinação verbal” acontecendo praticamente todo dia, resolvi provocá-lo para ver qual seria a reação. Na segunda-feira, dia que falta muitos funcionários, ainda mais se tiver feriado na terça-feira, foi o dia que escolhi para deixar aquele velho doido e assim eu fiz, logo fui para uma parte isolada da cerâmica, onde geralmente guardam as coisas lá, então tem pouca visibilidade. Logo ele veio atrás de mim, já tinha pegado uma prancheta e fingi que estava anotando algo, ele me falou: “Ueh? O que você veio fazer aqui no meio dessas coisas?” então eu respondi: “nada não, só estou anotando algumas coisas”, e como sempre ele já começou com as brincadeiras: “cuidado eim, vai que me da vontade de meter nesse cuzinho, ae você vai ter que me dar à força e não vai ter ninguém para impedir”, aquela foi a minha deixa, já fiz questão de arretar ele: “Ahh... mas com essa idade que o Senhor esta, ele não deve nem subir mais”. E nisso o velho simplesmente fez uma coisa que sinceramente não esperava, não sabia que ele iria ser tão “rápido”, ele já chegou por trás de mim, como eu estava com uma calça daquelas de treinadores de futebol, aquela que tem um pano bem mole mesmo, e também estava com uma cueca de pano bem mole e flexível. Ele se posicionou atrás de mim, colocou o dedo no meio bem no meu anelzinho, meu deus eu delirei, foi lá dentro mesmo, ele continuava forçando e forçando, como não tinha lubrificação alguma, até doía um pouco, mas eu estava adorando. Não me contive, comecei a mordiscar o dedo dele com meu cuzinho, e cada vez eu sentia entrando mais e mais, eu já estava delirando, minha boca então já juntava água de tanto tesão. Resolvi provocar novamente e falei: “vai me comer com o dedo, porque pelo jeito essa sua pica não sobe mais”, ele rapidamente tirou aquela rola para fora, eu não tinha como resistir, quando olhei aquele pau moreno, grande, grosso, eu fiquei completamente no cio. Não vou fazer como já vi em muitos contos, falando que o pau do cara tem 30 cm, 25cm e tal, até porque, seria muita sorte minha o cara ter tudo isso... Mas o pau dele com certeza é acima da média, e claro, maior que o meu... Eu chutaria ai seus 19 - 20cm. Quando olhei para aquela pica meia vida, já fui de boca logo, comecei a chupar com fervor, parecia que fazia décadas que eu não tinha uma rola. Quando olhei novamente para o caseiro, ele parecia assustado, acho que ele nunca esperava essa reação de mim, e logo depois ficou maravilhado com aquela cena, um rapaz novinho e branco (Vocês sabem que negros tem tara por branquinhos), chupando aquele mastro, ele começou a puxa minha cabeça contra o pau e forçar cada vez mais em minha garganta, eu já tinha chupado algumas rolas até o talo, mas nenhuma rola era tão grossa e grande como a caseiro, então comecei a me engasgar e segurei um pouco para não entrar tanto, então o velho tirou o pau dele da minha boca e se agachou perto de mim e falou no meu ouvido “chupa essa rola inteira, que eu vou fazer você minha putinha agora”, então eu estremeci com aquela voz grossa e meio roca pertinho do meu ouvido, meu deus... Então ele já me deu um tapa forte na cara, e meteu o pau fundo na minha garganta e eu sinceramente nem resistia mais, não queria resistir, queria era que ele me rasgasse mesmo, e assim ele fez, fodeu minha garganta durante alguns minutos, e eu estava adorando até que ele me puxou pelo o cabelo, e mandou eu me inclinar em um sacos de cimentos que estavam ali perto para ele comer meu cu, fiquei com um pouco de medo, pois nunca tinha enfrentado uma rola daquelas, e também não tinha nenhum gel ou nada além de cuspe, mas lá no fundo eu sabia que queria, queria aquela rola e ele também sabia disso... Fui honesto com ele e falei exatamente isso para ele, ele deu um sorriso e falou: “De jeito maneira eu te deixo sair desse lugar sem comer esse seu cuzinho”, ele veio pra cima de mim, colocou uma mão na minha costa me forçando a inclinar mais ainda e com a outra abaixou minha calça e cueca, eu já tava morrendo de vontade, queria aquela rola e logo me abri para ele, quando ele viu que meu cu estava piscando ele ficou louco, começou a falar um monte coisas tipo “Ahhh tu é uma putinha mesmo, adora levar rola no cu né, pode deixar que eu vou comer muito bem esse cuzinho gostoso”. Ele passou cuspe com os dedos e já foi encaixando aquela cabeça enorme no meu anel, eu fiz um pouco de força para ajudar na penetração, já que ele não tinha lubrificado muito bem né, o velho meteu com força, e com alguns empurrões já entrou quase tudo, eu senti um pouco de dor, mas o prazer era muito maior, minha boca salivava de tão gostoso que estava e eu queria mesmo é que tivesse outro roludo lá para eu chupar né, mas a gente nem sempre tem tudo o que quer . Eu gemia gostoso, falava para ele: “Aii, aii, que pica grossa, que delicia, isso mesmo fode, fode meu cuzinho que eu to adorando”, e por causa dos gemidos intesos ele pensou que estava doendo e começou a bombar com mais força ainda até que anunciou o seu gozo, eu ligeiramente falei para ele “goza na minha boca por favor”, ele sem duvida alguma obedeceu, tirou aquela pica enorme do meu cuzinho que estava todo arrombado e colocou na minha boca, hm... Aquele gostinho de cu, estava uma deliciaaaa. Eu comecei uma punheta rapidinha para ele, e ele logo urrou e eu senti os jatos de porra, o seu sêmen era grosso e bem branco, eu chupei tudo até a ultima gota e depois engoli (adoro tomar gozo). Então o velho colocou a rola dentro da cueca, subiu as calças e saiu com um olhar estranho, e até agora nada. Não me falou nada, não fez brincadeiras, só cumprimenta normalmente. Mas eu já estou doido pra dar pra ele de novo

FOTOS DOS NEGROS PELADOS MAIS GOSTOSOS DA INTERNET - PARTE 01







FOTOS DE BARRIGUDOS PELADOS, NEGROS, FUDENDO E GOSTOSOS







segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

SEXO COM O CAMINHONEIRO GORDINHO, CASADO E SAFADO | DEI MEU CU PARA CAMINHONEIRO

Oi pessoal estou de volta com mais um conto verídico, mais uma pequena aventura de tantas outras vivida por mim, gosto de relatar minhas aventuras com outros homens, pois com mulher e coisa normal, pois sou homem também, gosto de sexo e faço muitas loucuras para obter prazer sexual, não tenho tabus em relação ao sexo cada um faz o que gosta e como gosta não curto de tudo, mas adora ser possuído por uma rola e chupá-la bem gostoso, mas vamos ao que interessa, eu era caminhoneiro devido a um acidente fiquei na cadeira de rodas e não pude dirigir mais um caminhão, sou apaixonado por caminhão, por isso falo sempre com meus amigos de estrada para me convidarem para viajar com eles, mas a maioria que conheço não viajam para longe só pequenos trajetos, mas semana retrasada Ricardo um amigo caminhoneiro me ligou e perguntou se queria viajar para o rio grande do sul com o tio dele, pois sua tia que sempre o acompanha nas viagens teria que ficar desta vez e ele queria uma companhia para ir com ele, Ricardo falou de mim e ele pediu para me convidar.

, eu aceitei de pronto, pois teria o prazer de subir numa boleia e cortar as estradas numa bela maquina (um volvo 440), o Ricardo me levou para conhecer seu tio o Sr. Geraldo um coroa de 60 anos, barrigudo, peludo, de mais ou menos 2 metros de altura, cabelos grisalhos, muito brincalhão, disse para mim que nos revezaríamos o volante no trajeto da viagem (kkkkkk) marcamos que no dia seguinte ele passaria na minha casa por volta das 2 da manha e daí seguiríamos viajem, fui para casa arrumei algumas roupas numa mochila e fui dormir na madrugada de quarta ele parou seu caminhão na porta da minha casa e eu abri a porta despedi da minha esposa, subi no caminhão e fomos para uma viajem que seria inesquecível para mim, não só pelo fato de viajar numa maquina daquelas, mas pelo que estava por vir, seguimos viagem paramos para tomar café, daí ele me chamou para ir ate o banheiro com ele conversando, levei tudo numa boa e fui, entramos no banheiro ele se aproximou do mictório abriu a braguilha da bermuda e tirou a rola mais linda que já vi ate hoje com 37 anos de idade, estava mole, mas já tinha pelo menos uns 19 cm de comprimento e parecia um vidro de desodorante de tão grossa, a cabeça era excomungal, que rola, ele urinou por pelo menos uns 3 minutos balançou sua poderosa ferramenta e guardou ela na bermuda, pude perceber que ele não usava cueca, quando já eram 10 horas da noite ele disse que pararia num posto para que ele pudesse dormir, eu concordei, chegamos ao posto descemos para tomar banho e voltamos para o caminhão, não pude ver sua rolona de novo, pois os banheiros eram separados, daí quando ele estava me ajudando a subir no caminhão, a ele estava usando uma bermuda bem fininha tipo pijama e sem camisa, pude sentir sua rolona encostar-se a mim, daí ele pegou nas minhas nadegas para empurrar para cima da boleia, e enfiou o dedo ate meu cuzinho, pois eu estava de shorts e também não uso cueca, ficou ali por alguns segundos roçando o dedo no cuzinho, nem percebi (ele me (falou depois me chamando de putinha)
entramos no caminhão ele arrumou a cama e disse para eu deitar nos fundos da cama, pois ele deitaria na beirada, se quando amanhecesse eu estivesse dormindo ele não me acordaria, concordei e me deitei de costas para ele, ele se deitou atrás de mim e sem qualquer pudor falou no meu ouvido, só tem um problema eu não consigo dormir sem antes fuder o cuzao da minha mulher, mas ela não esta aqui e você gostou do meu brinquedo la no banheiro, e não precisa negar, pois conheço putinha como você de longe, e também coloquei meu dedo no seu cuzinho que ficou piscando pedindo mais, daí me virei e falei pra ele que tudo bem, pois não parava de pensar na sua rola enorme, mas ninguém podia saber nem o sobrinho dele, pois eu era casado e não seria legal minha esposa se expor desta forma ela sabia que eu gostava, mas não participa e finge que eu não faço mais (mal ela sabe que faço e muito), daí ele concordou e começou a me beijar, não curto muito beijar homem, mas na hora do tesão quem liga ne, eu procurei logo seu pauzão e achei-o começando a crescer (se e que podia crescer mais) quando ele atingiu seu auge da plenitude da dureza, meu coração disparou que espetáculo de rola, fiquei sabendo depois de estar todo arrombado que media 30 de comprimento e 8 de polegada, a cabeça tinha 10 de circunferência, não pensei duas vezes e cai de boca naquele monumento que não conseguia engolir nem a cabeça, pois quando forçava doía meus lábios, daí comecei a lamber beijar, e pedia a ele para me arrombar com aquilo tudo, ele me pedia calmo, pois já tinha mandão vários machos e fêmeas para o hospital com sangramento nos anus e nas bucetas, esta e a vantagem de não sentir dor só tesão, virei de lado e pedi para ele colocar bem devagar, ele esticou a Mao e pegou um creme passou no meu cuzinho, encostou a cabeça e empurrou devagarzinho, meu cuzinho retraiu na hora, acho que ficou com medo, daí começou a se abrir e aceitar aquele monumento de carne dentro dele, o Geraldo começou a foder bem devagarzinho com metade da sua rola no meu cu, pus a Mao para trás e vi que não estava tudo dentro de mim, pedi para ele por tudo não deixar nada de fora, ele foi colocando devagarzinho ate sumir tudo no meu cuzinho, me sentia todo preenchido, parecia que estava me rasgando, batia no meu estomago, estava dentro do meu intestino, que delicia, Geraldo me comia com muito tesão me chamando de putinha, de cuzinho gostoso, ficamos assim grudados por mais ou menos 40 minutos, depois ele despejou tanta porra no meu cuzinho que vazava tanta porra na cama do caminhão, depois ele pediu para que eu limpa-se seu mastro gigantesco, e eu como uma boa putinha atendi meu macho roludo, seu pau ainda estava duro, daí ele me colocou de quatro e me enrrabou de novo agora todo esfolado entrou fácil seu pintão no meu cuzão neste momento, ele me comia com muita força, enfiava ate o talo no fundo do meu cu e eu pedia mais, pois e muito bom dar o cu, ainda mais pra uma rola daquela, ficamos nesta sacanagem por mais uma hora, daí ele gozou de novo um montão de porra dentro do meu cuzinho, ele se levantou e disse que iria ao banheiro, eu fiquei ali todo arrombado, coloquei a mão no meu buraco para ver como estava, leitores sem brincadeira cabia minha mão la dentro de tão arrombado que fiquei, mas valeu à pena, pois nossa viagem durou três dias e eu fui arrombado a cada momento que dava pelo Geraldo e seu pauzão, chegamos a santos e ele disse que a qualquer próxima oportunidade ele me chamaria de novo para mais alguns dias de muito prazer e que comeria o cuzão da esposa sempre lembrando do meu cuzinho, ate conhecer sua rolona arrombadora de cu, espero que gostem de mais este conto meu e continue entrando em contato comigo, pois ate agora não conseguir dar meu cuzinho pra nenhum leitor estou ansioso para contar aqui como será minha aventura com um de meus leitores ate a próxima.

SEXO COM O MARCENEIRO

Vou contar o que ocorreu ha uns 5 anos atrás quando encomendei uns móveis para minha casa. Tenho 40 anos, branco, casado, 178, 75kg, másculo e uso barba mas sempre curti foder com outro macho. 

Eu e minha esposa tínhamos acabado de comprar nossa casa e precisávamos de um guarda-roupa no nosso quarto, por indicação de um colega de trabalho em foi indicado o Claudio.... 


Marcamos para nos encontrarmos lá em casa para um orçamento e quando o Claudio chegou meu pau ficou duro na hora, que macho gostoso, um moreno claro de uns 43 anos, braços musculosos, pernas e coxas grossas, mais ou menos 1,75. 80kg, olhos cor de mel, cabelos e cavanhaque pretos, além de uma boca carnuda e um sorriso lindo. De bermuda estilo surfista que mostrava sua bunda perfeitamente redonda e musculosa e camiseta colada ao corpo.... ele desceu do carro e me cumprimentou e a minha esposa, mediu o local, deu o preço e me passou o telefone caso eu decidisse fazer o serviço com ele. Não conseguia parar de pensar naquele cara e falei para minha esposa que iria contrata-lo mesmo com o preço um pouco mais caro pois tinha ótimas informações sobre ele, etc... 

No dia da instalação do móvel ele veio e eu fiz de tudo para estar no local (minha esposa trabalha como professora de Inglês pela tarde e a noite até as 10) Ele e o ajudante iniciaram a montagem do móvel e depois de uns 20 min ele recebeu uma ligação e falou para o ajudante pegar o carro e voltar para a oficina pois tinha muita coisa para terminar e ele poderia acabar o serviço sozinho. Essa era minha chance de tentar algo, puxei conversa, perguntei ha quanto tempo fazia esse trabalho, ele falou que desde os 18 anos tinha a profissão e que teve que sustentar sua familia desde cedo pois casou com 20 anos tinha 3 filhos, etc... 

Falei que estava muito quente e se ele queria água ou refrigerante e ele disse que se não estivesse trabalhando gostaria mesmo era de uma cerveja bem gelada, então eu sorri e disse: hoje é seu dia de sorte amigo pois sempre tenho cerveja aqui na geladeira vou pegar uma para ti. no inicio ele não quis aceitar, falou que tava só brincando, que não poderia pois tinha que montar o móvel então eu falei: dá uma parada de uns 10 min e tomamos umas 2 cervas juntos assim você relaxa um pouco afinal eu é quem sou o seu cliente e nâo tô fazendo questão. ele sorriu e falou : tudo em Sr Luiz, depois não vá reclamar quando o seu móvel ficar mal montado. Fomos até a mesa da piscina e começamos a tomar umas cervas e eu disse a ele sol gostoso, cerveja gelada, só ta faltando uma mulher gostosa para completar a nossa tarde não acha ? ele falou : nem me fale amigo, to meio brigado com minha mulher e fazem 4 dias que não dou uma boa trepada, estou aqui numa `seca` que você nem imagina. Eu falei:
mas um cara bonitão como você não deve ficar muito tempo sem mulher, aposto que deve levar muita cantada de clientes. Quando eu falei isso ele uma rizada bem safada olhando nos meus olhos bem fixo e disse: você não tem nem ideia das cantadas que já recebi de mulheres e até de homens !, passou a mão no pau por cima da bermuda, olhou para mim e disse: nunca recuso uma boa mamada e um cu. E falei: então você vai gostar do meu, e fui logo pegando naquele pau por cima da bermuda e abrindo o zipper mamando aquela vara gostosa de 21cm e grossa que ja tava meia babada de tesão. Claudio gemia de tanto tesão e falava que ficou louco por mim desde o primeiro dia que me viu e que era tarado em caras de barba. Chupa essa pauzão vai puto, mata tua vontade, tira leite dele meu puto safado ! mostra que você sabe chupar o teu macho vai !! Engoli todo aquele caralho e chupava a cabecinha e depois chupava as bolas do Claudio enquanto ele gemia e pedia para eu chupar o cuzinho dele. Quase fui a loucura vendo aquele macho lindo de frango assado com o corpo todo definido ali na minha frente me pedindo para chupar o cuzinho dele. Fudi ele com minha língua enquanto batia uma punheta, depois nos beijamos e ficamos nos roçando num 69 por uns 5 minutos e não aguentei mais e gozei na boca dele e logo em seguida ele gozou muito na minha garganta. Ficamos deitdos uns 2 minutos fomos tomar um banho juntos e nos beijamos muito e ele disse que da próxima vez queria me comer e que eu seria o seu amante secreto.

domingo, 29 de dezembro de 2013

CHUPANDO OS CAMINHONEIROS

Para falar com o editor: (83)99853-4472

Fui ate um posto que fica na Rod Castelo Branco cidade de Barueri, cheguei mais ou menos umas 20:00 e já tinha alguns caminhoneiros já parando de rodar procurando um banho nos postos, desci do carro e fui para uma lanchonete onde já tinha vários caminhoneiros já se alimentando.

Sentei em uma mesa de canto onde eu via todos e La permaneci por uns 10 minutos só filmando e imaginando cada um deles doando leite.

Em dado momento chegou dois homens juntos fiquei sabendo depois que eram vizinhos e que estavam fazendo um bico transportando uns colchões para um hospital.

Encarei os dois de forma que um deles percebeu minha intenção e sentou de frente na mesa da frente e o amigo de costas.
Eu encarava já dando pinta de viado lambendo os lábios e em uma das olhadas dei uma piscada para ele. Ele meio se graça abaixou a cabeça e neste momento teu amigo saiu para pegar algo no balcão, foi quando pude ver que ele estava de pau duro tamanho era o volume de tua bermuda.
O amigo voltou e ele deu um jeito de ir mais para o lado e por baixo da mesa ficava apertando a cabeça da rola.
Eu comecei a ficar com água na boca, mas como fazer para chupar se o amigo estava com ele?
Então me levantei e passei bem próximo a ele e dei uma esbarrada e pedindo desculpa como uma putinha no cio e fui até o banheiro, nem bem entrei ele veio atrás, entrando no banheiro como um tarado atrás da caça e logo metei as mãos na minha bunda que apesar de pequena é redondinha empinadinha depilada e higienizada, ele enfiava as mãos grandes por dentro de minha calça onde ate estourou o botão não deu tempo nem de abrir o botão sentia tua respiração forte e o dedo safado entrando no meu cuzinho que até aquele momento era virgem. Escutamos um barulho na porta e logo nos recompomos era um faxineiro, ai pensei ferrou perdi a chance de mamar.
E sai do banheiro rumo a minha mesa. E o tal cara voltou para a mesa dele só que o amigo que eu pensei não saber de nada já estava sabendo e começou a se virar para trás afim de me analisar fiquei com vergonha e fui para o carro nem bem cheguei no quarto o cara veio correndo atrás e disse:
- Calma onde ta indo com tanta pressa ?
- eu digo que tinha que ir embora já que tinha dado errado.
- que nada o meu amigo vai deixar-nos a vontade na boleia isto se você estiver afim?
Eu topei e fui até o caminhão dele.
La ele disse que fazia uns 10 dias que só batia punheta e que tava afim de carne na carne, eu disse que só chupava que nunca tinha dado se servia só a chupeta ele disse que tudo bem já abaixando as calças e com a rola durona foi logo me puxando pelos cabelos e dizendo:
- Vai viado já suga minhas bolas que hoje quero dormir com o saco vazio. Eu, logo cai de boca naquele saco cabeludo e pesado a rola era tão cheia de nervos e veias que fiquei impressionado.
Não demorou 3 minutos e ele começou a falar se eu curtiu uma suruba se seu já tinha dado para mais de um ? E eu mais uma vez disse que nunca tinha dado, mas que topava chupar.
Ele então me empurrou vestiu a bermuda e desceu do caminhão dizendo espera ai viado, após uns 2 minutos escutei vozes chegando perto do caminhão era ele o vizinho e outro cara, ambos subiram no caminhão dando risada e dizendo:
Então este é o presentinho da noite, eu disse que só iria chupar logo recebo um tapa na cara do terceiro cara que logo abaixa minhas calças e mete a língua no meu cuzinho com tanta força que sinto ela entre minhas pregas, logo os dois começam a tirar a calças e se revezam ao meter tuas rolas na minha boca enquanto sinto meu cu sendo lubrificado por uma saliva grossa e quente.
O que me chupava o cu tinha mais ou menos uns 45 anos 1,75 altura loiro peludo meio gordinho acho que uns 90 kilos vou chama-lo ele de Jorge, o que tinha dado uma investida no banheiro era branco de cabelos grisalhos mais ou menos uns 1,80 alt uns 90 kilos também peludo este vou chamar de nervo o amigo era um cara de 1,90 altura magrelo uns 70 kilos pentelhudo e uma pica tão grossa que chegava a ser triangular.
Quando o que estava me chupando tentou por no meu cu eu sai da frente e disse que so chupava logo ambos começaram a rir e disse ao menos um terá que socar no cu pois naquela boleia viado tinha que sair com o cu leitado. E dói me seguraram com força e o outro forçou a pica no meu rabo onde eu comecei a gritar alto e eles pararam, pois eu já estava chamando a atenção senti meu cu rasgar e sai até sangue mas pararam e começaram e me chingar de viado frouxo pedi desculpas e fui descer quando o nervo colocou a mão na trava da porta e disse ao menos terá que levar porra na boca e me puxou pelos cabelos metendo a pica na minha boca bombando ate esguichar o leite na minha boca, o segundo jato ele depositou na minha cara, nisto os amigos olhando e punhetando falam que querem esporra na minha boca eu digo que topo com medo de ser rasgado no meio e com o cuzinho já machucado o o Jorge me coloca entre tuas pernas de forma que o pé dele fique na minha bunda e ele enfia o dedão no meu cuzinho e fica brincando com ele enquanto eu chupo tuas bolas tua pica tua virilha, o magrelo fica punhetando atrás de min e logo sinto a porra do magrelo sendo jogada na porta do meu cu e com os dedos dele e o dedão do pé do outro ambos empurram o leite para dentro do meu cu dizendo ser uma pena não deixar lá no fundo e o que eu estava chupando gemendo como um louco esporra tudo dentro as minha boca eu sento no colo do ultimo que gozou só para sentir o quente da rola me masturbo e vou embora antes ele pegam meu cel e dizem que querem ir tentando fuder meu cuzinho que hoje não posso mais considerar virgem. Se você curte dar de mamar eu topo de chupar o cuzinho posso tentar.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

FOTOS DE SEGURANÇAS PELADOS E PAUZUDO - PARTE 01






SEXO COM O ELETRICISTA

Vou contar uma experiência que tive nesta semana. Moro em Pernambuco com meus pais e mais dois irmãos mais novos. Um de sete anos que estava na casa do seu amigo e outro de dezesseis que tinha passado a noite de domingo para segunda na casa ‘’dazamiga’’. Dividimos a nossa casa com minha avó e avô por parte de mãe. Em fim. Eu trabalho em contabilidade e a empresa me deu uma folga nesses dias de natal. 23, 24 e 25. No caso, isso aconteceu segunda. E ainda estarei de folga hoje.

Minha avó e meu avô decidiram ir para a casa de meus tios na segunda feira, e disseram que iriam passar véspera de natal por lá, em Boa viagem, o que é estranho não passarmos, o natal todos juntos.


Na manha de segunda feira dia 23 eles foram embora e meu pai os deixou lá e disse que iria demorar, pois teria que passar em uma oficina e encher o tanque do carro. E minha mãe disse que iria para o Shopping Recife fazer compras de natal e que só iria chegar a tarde (mais pra de noite – chegou umas nove horas). Até ai tudo bem.

Não havia ninguém em casa e decidi ficar um tempo vendo televisão na Sky. Começo indo folheando os canais Tele cine e HBO que sempre tem algo de bom. Até que a energia acaba.

Apesar de que não havia nada que prestasse na TV decidi ligar para a Celpe. Eles me disseram que era problema na minha casa, pois a rua estava toda com energia.

Fui do lado de fora abri o portão e vi algumas afiações enfumaçando, fui logo ligar para o eletricista, e que logo atendeu. Ele era amigo de meu pai e já havia estado aqui em casa algum tempo. Seu nome é Guilherme. Cabelos curtos e escuros. Ele é um pouco mais alto do que eu, MORENO, e tem 37 anos.


Fico sentado no sofá até que ele chega com o material e uma maleta. Ele vestia uma calça jeans e uma camisa branca que estava um pouco suja.

O problema era dentro de casa, mas a fumaça estava nos fios do lado de fora. Ele pediu um tempo e eu entrei. Deixei uma escada para ele e disse que ‘’qualquer coisa eu estarei lá dentro. ’’

Fui à cozinha depois de ter passado uns vinte minutos tentando ver se funcionava, e nada. Abri a geladeira e retirei uma garrafa de água, coloquei em dois copos e bebi um, quando fechei a porta e virei com o copo cheio para levar para ele, tomei um susto e deixei o copo cair. Ele estava atrás de mim.

Ele prontamente pediu desculpas pelo susto e que iria me ajudar. Eu disse que não precisava, mas ele já tinha pegado uma pá e a vassoura, juntando tudo e pondo no lixo. 


Conseguia ver aquele corpo maravilhoso dele. Nunca tinha sentido nada igual por nenhum outro homem. Pensei que ele fosse fraco, mas pelo angulo que peguei dava pra ver que tinha uma barriguinha maravilhosa e um sacão.


Meu pau logo subiu pela minha bermuda e ele olhou para cima. E deu um sorriso de leve. Corei na hora e pedi desculpas. Ele disse que tudo bem, e que também ficava assim quando estava perto de um homem.
Tomei um susto com o que ele disse, pois não parecia que era gay. Nem mesmo eu sabia que era.
Foi quando ele se aproximou de mim e me empurrou contra a geladeira. Me virou de costas e pude sentir seu pau roçando minha bunda virgem. Ele falou uma coisa tão gostosa que nunca vou me esquecer.
- Você me quer desde seus dezoito anos, eu sei disso.
O cheiro de macho suado entrou no meu nariz e me soltei.
- É. Eu sempre te quis.
- Agora vai ter.
Ele abaixou minhas calças e levantou minha camisa. Passei a mão sobre seu peitoral suado e ia mordiscando os bicos dos peitos. E ele gemia de prazer. Meu pau estava duraço e o dele também, peguei de leve com medo.
Ele tirou a calça jeans e a camisa branca, juntamente com a cueca. Pude ver aquele pau gostoso ali na minha frente. Não era tão grande. Talvez uns 17cm. Agachei e chupei feito uma putinha. Senti o gosto de sebo de pau, e suor de macho, e me levava as loucuras. A cabeças rosadinha cheia de veias que pulavam. Vi o pré-gozo dele, era doce e quente, ele começou a empurrar minha cabeça até a base peluda dele. Quando me levantou e disse.
- Vou te comer agora safado.
Fiquei com medo na hora e pedi pra ele ir de vagar, mas ele tapou minha boca com sua mão e me prendeu de costas na geladeira junto da quina do balcão. Abriu meu cuzinho e começou a cuspir. Um atrás do outro, cuspe e mais cuspe(Senti saudades do KY). Ele começou a enfiar o dedo devagarzinho e depois colocou dois ao mesmo tempo. Senti o sangue sair. Meu cu tinha sido violado por dois dedos de um gostoso.
Ele empinou minha bunda e se alinhou. Começo arrastando seu pau babando na entrada de meu cu, alisando e aos poucos eu ia relaxando. Até que, ele começa a enfiar. Nessa hora eu quis gritar, mas ele tapou novamente minha boca. Senti o pau dele todo dentro de mim. Grosso. Quente. Seboso. Com cuspe. E em movimentos rápidos que doíam de mais. Rompendo minhas pregas todas. Ficamos no movimento vai e vêm por uns cinco minutos, até que ele não aguentou mais e gozou na minha boca. Tinha gosto doce e áspero. Minha boca estava cheia e quente. Ele fechou meu maxilar e disse.
- Engole minha gala, porra! Não era isso que você queria? Agora toma sua puta!
Gozei em seguida sobre a pia de louças. E um pouco na geladeira. Olhei para ele. E ficamos nos encarando de um jeito safado, até que ouço alguém entrando na porta rapidamente. Levantamos nossa calças e cuecas, mas as camisas ficaram no chão.
Era meu irmão mais novo de sete anos. Ele entrou na cozinha perguntando o que nós estávamos fazendo. Guilherme disse que estava me ajudando a acalmar o ralo da cozinha. Eu dei um empurrão nele, que caiu na gargalhada safada com seu sorriso. Meu irmão não entendeu nada. (É o que fez parecer)
Depois disso Guilherme finalmente bebeu um copo com agua, agora que já estava um pouco mais fria depois da energia ter voltado, e me deu um beijo na boca. Que beijo! Não vou me esquecer do gosto que me fez tremer.
Fui para a sala e fiquei descansando no sofá. Depois de mais de duas horas chega meu pai. E minha mãe chegou somente a noite...como eu já sabia.
Bom pessoal esse foi meu primeiro conto. Espero que todos tenham gostado. Obrigado!

SEXO COM O CASEIRO, COROA E GORDÃO

Certa vez dei um churrasco para amigos em um sitio muito isolado, e só havia um caseiro q tomava conta do sitio, durante a semana fui eu buscar o q havia sobrado, e sobrou bebidas, chamei o caseiro para tomar comigo, ele tinha por volta de 55 anos, não era muito ogro, era alto (cerca de 1,80m) e um pouco forte e gordo ao mesmo tempo (uns 88 kilos) e começamos a conversar, após algumas latas de cerveja o assunto chegou a sexo, ae perguntei pra ele como ele fazia pra aliviar o tesão morando ali tão isoladamente, ele disse que rachava na punheta, e disse q sentia tanta falta de uma buceta q comeria até um cara se fosse necessario. Após isto eu disse a ele q no bate-papo sempre havia muitos garotos q eram loucos para dar para coroas como ele. Ele perguntou como funcionava, e eu expliquei tudo, mas eu nem me liguei e ele foi muito esperto nesta hora, perguntou se eu entrava nesses negocios, já q eu sabia sobre isso. e eu sem perceber q entregava o ouro dei a deixa pra ele, disse que sim, e ele perguntou q nome eu usava, eu disse: MENINO SAPECA.

Na hora ele já chegou mais perto e colocou a mão na minha perna , foi até meu ouvido e disse: VC É SAPECA MESMO?

Não sei pq, fiquei gelado, deu um frio no corpo todo, das pernas até a barriga, fiquei PARALISADO. eu só o respondi com um balanço da cabeça dizendo sim. Ele levou minha mão até sua bermuda onde sua rola estava dura feito uma rocha, eu comecei a mexer com ela, após isto ele tirou o pau pra fora e foi conduzindo minha cabeça até aquele pau de cerca de 16cm.

Eu jamais havia feito aquilo, mas chupei feito um louco, chupava com uma gula sem igual. foi maravilhoso.

Após isto ele me conduziu até a varanda e abaixou minha calça, mandou eu empinar o rabo e ele meteu a lingua, eu nunca tinha sentido aquilo, mas me deu um tesão, meu cu chegava a latejar, e pra ser sincero eu gemia, gemia feito uma cadela, na verdade eu queria q aquela lingua entrasse toda no meu anús.

Após eu gemer bastante e quase gozar ele me levou pra cama, aproveitou q eu tava meio lubrificado, passou um pouco de condionador e meteu o dedo no meu cu, até ele ficar numa medida boa para ele por a vara, após isto ele introduziou a vara lentamente, eu nunca havia sentido tanto tesão em minha vida.

após colocar tudo ele movimentou bem gostoso (tratou meu bumbumzão com muito carinho).

Após isto brincamos tambem de papai mamãe por algum tempo, até ele fazer a coisa mais maravilhosa q já fiz, ele deitou de barriga pra cima e sentei encima, fiz a rola dele sumir, cheguei a ver estrela, meus olhos viraram para trás. Mas após isto eu comecei num movimento delicioso, cavalgava nele como um peão sobre um touro, fiquei ali por cerca meia hora, só rebolando e sentindo aquele macho me jogar pra cima...

Infelizmente não pude mais ir lá trazer com ele.

E já se vão 8 meses sem brincar gostoso...

To louco pra fazer tudo de novo.

bbcnmc@hotmail.com (quem quiser me adicione, vc acima de 40 e ativo...)
Rede Social de Sexo e Swing

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

CAMINHONEIRO GORDO FUDENDO CU DE GORDO

Antes de relatar o conto gosto de me descrever sou alemao olhos verdes liso nao afeminado 173alt e 130kg ursão grande mesmo ! sempre costumo sair viajar conhecer outras cidades e outras pessoas é claro.
na sexta a tarde decidi ir para RIBEIRÃO PRETO E no caminho parei em um posto.
O posto estava cheio de caminhoneiros e o pessoal que de excursão fui ao banheiro comer algo e quando estava saindo vi de longe um HOMEM que me chamou muito atenção
eu vi que ele estava falando de mim para um amigo dele e quando eu sai ele cutucou o amigo dele e apontou para o meu lado
e como gordo é sinal de referencia eu nem liguei .
nisso voltei para o carro liguei o som colocando o sinto nisso aquele Homem que me chamou atenção veio no vidro me chamar.
_ E AI GAROTO VAI PRA ONDE
- RIBEIRÃO PRETO
- NÃO TEM COMO VOCE DEIXAR O MEU AMIGO EM ARARAQUARA DE LA EU PEGO ELE AQUI TEM MUITO AMIGO DE TRABALHO E PODE ME DENUNCIAR ELE INDO COM VOCE ATE LA EU PEGO ELE NO TREVO.
- TUDO BEM MANDA ELE VIR
( tudo bem que foi uma loucura nem conhecia o cara mas nao ia perder nada a aventuras é comigo mesmo)
_E AI BELEZA VAI PRA ARARAQUARA ELE RESPONDEU VO LA ...
_TEU NOME FERA?
ELE RESPONDEU
-JHONATAS
EU DISSE PRAZER - DIEGO
E INDO A CAMINHO DE ARARAQUARAS PERCEBO QUE O CAMINHÃO DO AMIGO DELE ESTA BEM ATRAS DA GENTE .
NISSO JHONATAS PEGA O CELULAR E DA UM TOQUE PARA O AMIGO DELE DANDO UMA INDIRETAS PRA MIM.
- JOÃO O CARA É MESMO BOM GRANDÃO BRANQUINHO GOSTOSO SIMPATICO ... SRRS E RINDO DISSE VAI PARAR MESMO EM ARARAQUARA OU ( NISSO ELE OLHA PRA MIM )
eu meio sem jeito por mais que eu sabia o que eles queriam finji de inocente da historia...
Jhonatas fala assim.
- MEU AMIGO VAI TER QUE PARAR O CAMINHÃO POR QUE PARECE QUE ESTA ESQUENTANDO DEMAIS VOCE VAI PARAR COM ELE OU VAI INDO.
-CLARO QUE VOU PARAR SE PRECISAR DE ALGO POSSO AJUDAR IR ATE OUTRO POSTO PEDIR AJUDA
ele respondeu
- VAI PRECISAR MUITO DE AJUDA TA MUITO QUENTE.
NISSO O CAMINHÃO PASSOU A MINHA FRENTE E O CARA QUE ESTAVA DO MEU LADO MANDOU EU ACOMPANHAR O SEU AMIGO NISSO EU FIQUEI COM RECEIO MAS JA ESTAVA ALI NAO DAVA PRA VOLTAR MAIS
PARAMOS EM UM TREVO DESERTO NA RODOVIA MESMO DESCI DO CARRO JOÃO ESTAVA SEM CAMISA ELE ERA TODO PELUDO TINHA UMA BARRIGA DELICIOSA ALTO TIPO BRANCO OLHOS PRETOS CABELO BEM PRETO SEU PELO NA BARRIGA FAZIA UM CAMINHO ATE SEU PAU QUE NAO DAVA PRA ESCONDER O VOLUME
NISSO EU DISSE
-E AI JOÃO ESQUENTOU
ele respondeu
- ESQUENTOU DESDE AQUELA HORA LA DO POSTO QUE TE VI GORDO LOIRO COMO VOCE ME ESQUENTA FACIL.
nisso fiquei surpreso por ser bem direto ele olha pra mim e diz
- VEM AQUI VER AONDE É O PROBLEMA
nisso vou atras do caminhão ele vem em cima de mim e começa a me beijar passar a lingua dele em meu rosto inteiro eu todo suado ele parecia que bebia meu suor
nisso ele tira a minha camiseta e começa a mamar o meu peito como uma crinça pedindo leite
aquele homem grande mamando em meus peito feito um louco
nisso ele me coloca na escada do caminhão e abaixa o meu shorts e a dele vi que seu pau era grande mas percebi que ele era todo carinhoso tambem
ele abre as minhas pernas e começa a chupar meu pau , e meu pau cabe inteiro em sua boca ele começa a babar muito e a baba começa escorrer no meio da minha pernas e lubrifica meu cu .
ele ergue as minhas pernas bem devagar e sinto na entrada a cabeça de seu pau bem molhado ele coloca so a cabeçinha em meu cu e com sua mão segurava forte meu peito.
não resisti fui de encontro ao seu pau pra sentir aquele homem dentro de mim.
e com o pau dentro de mim me faz virar e ficar tipo em pé de 4 na escada do caminhão e começa um vai e vem alussinado e quando olho o seu amigo no banco do caminhão com o pau pra fora nisso ele vem ao meu encontro pra que eu chupasse
João fala pra jhonatas sai fora que aquele gordinho era só dele
na hora deu mais tesão ainda aquele homem com tesão e ciumes ao mesmo tempo
nisso ele tira o seu pau dentro de mim e coloca em minha boca
_CHUPA MEU GORDINHO SAFADO VAI TOMAR LEITE GORDINHO GULOSO DE HOJE EM DIANTE VOU TE TRATAR ASSIM MUITO LEITE NA BOQUINHA.
nisso coloco o pau dele inteiro na boca faço ele gemer e sinto que o seu pau estava ficando cada vez mais grande e grosso quando sinto um jatto de porra em minha garganta nem deu tempo pra tirar a boca por que ele quando ia gozar segurou forte meu rosto contra seu pau
na verdade nem senti o gosto de sua porra desceu tudo como agua
.
nisso fiquei puto da vida por que ainda nao tinha gozado mas o cara me surpreendeu abriu minhas pernas e começou a chuparf as minhas bolas adoro quando fazem isso.
nisso anunciei que iria gozar ele colocou sua boca em meu pau e engoliu gota por gota.
e beijamos muito depois
.
vestimos a roupa e pensei que iria ir embora ele me puxou e disse la em araraquara tem um posto e quero dormir com voce hoje
nisso ele manda o amigo dele levar o caminhão
e a gente foi para um motel ali perto
isso é outro conto.........

SEXO COM O ZELADOR E PORTEIRO | UM GORDO PELADO E MUITO GOSTOSO

Bom, como todos já sabem, meus contos são sempre histórias reais, minhas ou de amigos, mas as vezes ouço historinhas de outras pessoas e adoro transformar em contos... 
Essa é a historia de Lucio, que trabalhava numa subestação de uma companhia de águas estadual, lá em seu horário de expediente sempre ficava sozinho, quase nunca aparecia ninguém, mas o salário era bom. Lucio tinha namorada, mas também tinha desejos com homens. Lá é um local bastante tranquilo, com poucas coisas a fazer. Fica do lado de uma área particular que será o tema central desse conto real. Como Lucio queria ser dominado!

Quem quiser pode nos seguir no Instagram: @ContosDeBanana e saiba dos nossos contos assim que são lançados:
Siga! Mande sua história pelo zap: (11) 95301-9443



A pessoa que eu falo se chama Sergio, um cara forte, dos serviços braçais que é zelador do terreno e já serviu de inspiração para muitas de minhas punhetas. Como eu já gozei imaginando aquele homens sobre mim, na minha frente, nas minha bunda, mas até então nada aconteceu.

COMO SERGIO É:

Sergio tem mais ou menos 45 anos, moreno forte, parrudaço, tudo nele era grosso, os traços eram fortes, de macho mesmo, pernas grossas, uma bunda enorme e o melhor, acreditava desde antes que ali dentro ou tinha uma pica enorme ou era muito grossa, porque tinha muita coisa dentro daquelas bermudas. 

Sempre tive vontade de ser tomado por aquele cara, chupar aqueles dedos e a sua rola! Que sonho aquele homem gordo e forte em cima de mim, enterrando sua piça na minha bunda! 

Ele sempre chegava para trabalhar com roupas que valorizavam seu atributos, tinha um peito muito forte e gostoso, ele era um gordo, que ficava gostoso com qualquer roupa, e acho que sem querer ou querendo sabia valorizar suas partes mais gostosas com bermudas deliciosas.

Com o tempo, fomos nos falando cada vez mais e nos tornamos bons amigos, ele era simpático comigo e eu sentia que era uma das pessoas com quem ele mais conversava, pois era reservado. Durante nossos papos (que eu mais olhava para o pacote no meio de suas pernas do que para o rosto dele) é que descobri que ele tinha uma filha, era casado, mas a esposa trabalhava numa casa de família em outra cidade e só vinha uma vez por mês. 

QUANDO ELE COMEÇOU A NOTA...

Numa tarde, estávamos sem nada pra fazer então ele foi lá conversar comigo. Papo vai e vem, tentei falar um pouco sobre mulher, quem sabe, tentar fazer com ele me contasse alguma de suas trepadas, só de imaginar ouvir aquele macho contando como teria fodido alguém, já ficaria excitado. Mas ele era realmente era fechado para esses assuntos, não descobri nada. Após um tempo, me dei conta de como eu estava olhando para sua mala na bermuda e não para seu rosto. Quando me dei conta já era tarde, mas apesar dele saber que eu tenho namorada, aquele desejo precisava ter um fim, bom ou ruim.

COMEÇANDO! 


Certo dia chego para trabalhar o Sergio me dá a melhor notícia dos últimos meses, ele foi contratado para limpar o terreno onde eu trabalhava e também limpar o meu escritório. Teria que fazer um expediente lá também. Isso armentária nosso contato. Afinal, apos o meu almoço, sempre tirava um cochilo. Será que Sergio tiraria também?

Quando ele começou a limpar minha sala, aquele homem macho e saudo, sozinho comigo na mesma sala quase explodia meu pau dentro das minhas calças. Era tudo grosso e eu ficava imaginando como seria o pau dele, mas não podia fazer nada sem que ele me desse uma abertura.

Eu queria baixar a calça dele ali mesmo e me por de quatro na sua frente naquele mesmo instante, afastar minhas nádegas com as mãos, e pedir que ele me estrupasse ali mesmo, mas não podia!

UMA IDEIA QUE DEU ERRADO! MAS...

Dia após dia e ele não me dava nenhuma abertura, pensei em fazer um buraco na porta do banheiro que tomávamos banho antes de sair para ve-lo pelado. Dane-se! Não agüentava mais de vontade por aquele macho! Decidi que o risco valeria a pena. Fiz o buraco, e todas as vezes que ele ia ao banheiro, sempre ficava de costas e acho que em determinado momento ele percebeu algo e passou a urinar "no mato" ou ir em momentos que eu me distraia.

Ele era muito gostoso fazendo tudo e sempre transpirava muito, sempre tava suado no trabalho pesado que eu adorava admirar, um dia limpando um dos galpões me aproximei quando ele acabou e falou:

—Ufa! Deu par suar? – perguntou ele.
—Se deu!!! E você suou bastante!
—Nem me fale! Sabe como é, gordinho sempre tem suor de sobra, é uma dádiva. – falou ele em tom irônico.
—Mas já acabou ao menos! Tudo organizado. Agora banho!
—É verdade. 


Quando eu menos esperei, ele parou dos serviços, se virou para o terreno vizinho e fez algo que eu realmente não esperava, ele estava a mesmo de três metros de mim, quando de repente sacou o cacetão pra fora e começou a mijar. Fiquei em estado de êxtase, aquele homem com um cacetão enorme. Desejei ele por tanto tempo e finalmente o via ali, gratuito na minha frente. Grosso ainda molo, suas mãos fortes e seu corpo forte pareciam se estender para seu cacete. E não consegui esconder que estava paralisado quando ouvi:

—Bom, acho que terminei tudo, já posso ir embora a não ser que tenhamos que fazer mais alguma coisa antes de irmos embora... 

Ele então recolheu o pau e eu falei:

—Hã....O que dizia? Não devo ter te ouvido – disfarcei.
—Tava distraído com o quê amigo? – senti um tom diferente em sua voz grossa, meio irônico.
—Não, nada, mas estava falando do que? Há algo mais que precisamos fazer? Posso te ajudar.
—Não quer me dizer nada? Quem sabe o porque de tu ter ficado olhando pro meu pau sem piscar agora a pouco...
—Que isso Sergão, tenho namorada? Ta viajando? Tava olhando para qualquer coisa, menos pro seu pau – tentei disfarçar, meio assustado e com vergonha.
—Olha, já faz um tempo né... Quando conversamos, fica olhando pra baixo, tu nem percebe que não disfarça mais... e aquele dia quando me espiava limpando?
—O que? Espiava você??!! – estava perplexo de como a situação estava clara para o Gordo!!! Ele já tinha percebido tudo!


—Hahaha! Porque acha que olhei para o lado das caixas antes de sair, na verdade, geralmente eu dou uma mijada ali do lado, vi quando você entrou antes de eu começar a limpar, então naquela tarde tive que fazer em outro lugar, fiz questão de virar de costas, ainda não tinha certeza... Precisava de mais uns dias para te observar melhor... Hoje te mostrei meu pau de propósito....


—Sergio, olha, não consigo mentir a essas alturas... Só peço que não comente nada com os outros, por favor! Seria constrangedor. Por favor, não sou viado!


—Calma, não disse que vou lhe entregar, mas é estranho... porque diabos foi se interessar por mim, sou bem mais velho que você, não sou do tipo atraente...
—Ah, gosto é gosto, é complicado. Desculpe por isso, vai embora então...
—Espere, pra tu não te sentir tão mal, vou te dizer que já tive minhas experiências...
—O que? Está falando do que?
—Bem... – ele mostrou um ar pensativo e depois me olhou direto nos olhos... – Estou falando que, quem sabe, tu leve o quer hoje.... – como sempre, não falava da vida dele. Nesse momento, Gordo, que estava perto da porta, deu um empurrão nela, que encaixou um trinque simples e ficou suficientemente fechada. Estava bem claro dentro do galpão, devido às inúmeras frestas, sem contar na abertura na parte inferior da parede por onde o Sergio havia mijado. Depois veio em minha direção já colocando a mão dentro do short. Quando chegou em mim, colocou a mão no meu ombro, e com a outra, puxou novamente aquela rola enorme para forma.


—Então... depois de tanto tempo me espiando, não quer por a mão no meu pau? – perguntou, com sua rola solta na minha frente, agora também havia tirado o saco para fora, dois bagos enormes e peludos!


—Sergio! O que estamos fazendo?! – não esperava estar tão vacilante!!! Antes daqueles momentos inacreditáveis, eu imaginaria que nem pensaria em não aceitar uma oferta daquelas! Mas meu tesão pelo Gordo era tanto que acabou confundindo meus sentimentos! Me vinha a mente o medo de estragar minha relação com ele!
—Ora... Você é que anda me espiando pelos cantos e, mesmo sem querer, confessou que tem vontade de experimentar algo comigo, a decisão é sua, podemos ir embora e esquecer, se preferir. – meu coração estava a mil por hora! Mas felizmente consegui recobrar a sanidade e me dei conta que agora era a chance! Retomei o controle da situação e de mim, e me joguei naquela aventura! Ia dizer para ele tudo o que sonhava a tempo!


—Ai Gordo! Nunca pensei que diria isso pra você, mas não imagina quanto tempo sonho em chupar o teu pau! – me deliciei ao me confessar para aquele macho!


—Ta esperando o que então? – ele me provocava...


Nesse momento, me ajoelhei na frente daquele macho, a imagem daquela cabeça de pau, ainda encoberta pelo prepúcio, a centímetros da minha boca, já me deixou de pau duríssimo! Coloquei a mão direita, ao sentir a textura e a densidade de seu caralho na minha palma, quase não acreditei no que estava acontecendo, parecia que a realidade era, agora, duvidosa! Que meus sentidos me pregavam uma peça maravilhosa! Por uns segundos, cogitei a hipótese de um sonho, uma alucinação, até que minha mente me trouxera de volta para a realidade: ESTAVA PRESTES A MAMAR NO PAU DO GORDO! Ao me aproximar, senti o cheiro de suor, saco, tico, e mijo! Para alguns seria desagradável, mas só de pensar que era o Gordo, tudo me era magnífico!!! Tive que abrir a boca o máximo que pude para poder envolver aquela rola! Quando finalmente mamei a cabeça, pressionando-a com meus lábios e tocando-a com minha língua, o gosto do pau do Gordo inundava meu paladar por completo!!! Parecia que eu não sentia mais nada, que eu não era mais nada, somente o sabor daquela rola, sabor de macho, que me dominava, me hipnotizava! Uma sensação de finalmente, de delicia, de estar chupando o meu tão cobiçado zelador Telmo, o Gordo! Maduro, macho, peludo, másculo! Comecei a mamar-lhe com frenética velocidade, o pau dele crescia na minha boca, as veias estavam salientes a ponto de eu identificá-las a cada chupada, agora, com sua piça totalmente dura, mal podia chegar até a metade!!! Tirei a boca por uns estantes e comecei a punheta-lo, para poder ver o comprimento, devia ter uns 16 cm, que não é uma piça pequena, mas que de grossura, era capaz de preencher e satisfazer até o cu mais arregaçado! Um chumaço de pentelhos grosso, encaracolados e escuros, uniam-se ao pelos de sua barriga. Neste momento, enquanto eu admirava aquela obra piça, digo, prima, Gordo colocou a mão na minha nuca, empurrando minha cabeça em direção a cabeça da piça.


—Chupa esse pau guri! Não era isso que tu queria?! Chupa!


Obedeci imediatamente tornei a mamá-lo com toda a vontade. A essas alturas, já tinha limpado todo o suor e mijo do seu pau, sentindo somente o maravilhoso gosto de tico. Gordo começava a gemer de prazer, com aquela voz grossa que me dava cada vez mais tesão! Dei uma lambida que ia desde a base do pau até a cabeça, vendo isso, ele pegou suas bolas e levou até minha boca.


—Mama nos meus ovos agora! – mais uma vez, não discuti com aquele macho alfa! Cuidei logo de tratar de seu saco com todo o carinho e tesão, mamando um pouquinho em cada bola, os pelos, por vezes, ficavam na minha língua, alguns iam muito perto da garganta, e acabaram sendo engolidos! As bolas do gordo pingavam minha saliva, e eu estava viciado naquele saco, segurava em suas pernas enquanto mamava ele, como se minha vida dependesse daquilo! Como se fosse a última chupada do mundo!


—Nossa! Tu estava mesmo com vontade não é seu viadinho?! Não imaginei que chuparia meu caralho com tanta vontade! Ta gostando desse peru né?


—Sonhei com isso por muito tempo Gordo! Seu pau é maravilhoso! Vou chupar sempre que você quiser! Mal posso esperar pelo seu leite em mim!!! E como é grosso!!! – parece que o Gordo gostava de dominar, e eu gostava de ser dominado! Queria ser a puta dele!


—Tenho que dizer que você chupa melhor que minha ex! Ela também gostava da grossura, gostava de fazer uma espanhola! – ouvir ele falando da ex me deu mais tesão ainda, que mulher não gostaria de receber aquele pau no meio dos peitos afinal? —Eu fodia os peitos dela e gozava na sua cara! Ela ficava louco garoto! – Voltei a mamá-lo com virilidade, ele novamente segurava minha cabeça, forçando meus movimentos.


—Ah! Já chega! Quero de foder! Te apóia naquela mesa ali pra ficar mais fácil – ele falou, tirando seu short, ficando somente de camisa.


—Não sei se agüento seu cacete Gordo, é muito grosso... – estava de fato preocupado.
—Com essa vontade que tu ta?! Esse cu não vai negar ferro, vai doer, mas que eu vo te enraba, eu vou! – quem era eu para discordar! Me apoiei na mesa, um pé sobre uma cadeira e me debrucei um pouco, era hora de finalmente sentir o pau no Gordo me penetrando. Antes de meter, Gordo afastou minhas nádegas e deu uma bela lambida no meu rabo, vi estrelas!!!! Aquela língua quente e firme me lubrificando era inexplicável! Ao final ele deu cuspida com bastante saliva na ponta dos dedos, levantou um pouco meu rabo e lubrificou ainda mais meu cu. Era hora de enfrentar o pau mais grosso que já tinha visto, estava em uma mistura de medo e prazer.


Gordo aproximou sua rola, senti quando a glande tocava a entrada no meu ânus. Ele começou a pressionar , gemi de forma aguda, sentindo aquele cabeçona sendo introduzida no meu cu! Percebi quando ela já tinha entrado, mas sabia que o que vinha depois era pior!


—Pronto guri! Já meti a cabeça, agora o resto vai! – e começou a meter! Fiz um movimento involuntário com o corpo para tentar tirar aquele pau desesperadamente do meu cu, mas Gordo não me deu chance, e sem pudor, deu uma bela estocada!!! Foi inevitável! Dei um grito de dor imediato! Sentindo aquela imensidão invadindo meu reto por completo!!!


—Tira Gordo!!! Ta doendo demais!


—Calma, calma! Ta bem lubrificado! Por mais que doa, já vi que esse cuzinho já engoliu outras rolas! Relaxa, relaxa! Tu vai agüenta, e daqui a pouco vou poder bombar no teu rabo!


—Mas ta doendo muito! Parece que nem sai mais!


—Vou começar a meter devagar! – nesse momento, Gordo começou a fazer um movimento de vai e vem muito suave, o pau dele mais se mexia no meu cu, mas sentia as estocadas! Num misto de dor e prazer, me deitei sobre a mesa e tentei relaxar, era a melhor forma de agüentar!


Gordo começou a aumentar as estocadas, agora, apoiou uma das mãos na minha coxa e a outra nas minhas costas, começou a ir mais para traz, fazendo seu pau deslizar pelo meu rabo, para depois, enfiar tudo de novo! E assim foi, pouco a pouco, meu cu foi se adaptando, parecia que se esticava dava vez mais para dar passagem a rola do meu macho! Gordo percebeu que vencera a resistência do meu rabo, tornou as estocadas um pouco mais violentas! Em alguns minutos, Gordo já estava bombando em cima de mim! Parecendo um touro, me enrabava como sua fêmea, minha bunda abrigava aquele cacete grosso, as coisas estavam fervendo atrás de mim!!! Gordo me comia como se não tivesse comido ninguém um bom tempo! Cada estocada, cada vez que ele me penetrava, parece que afirmava sai virilidade masculina em mim, e cada vez mais me sentia sua fêmea, com o dever de satisfazer necessidade sexual.


—Viu! Sabia que esse cu não negaria minha rola! A vontade que tu tava de me dar esse cu era tanta, que tu agüentaria o tamanho que fosse! Ta gostando guri? Ta gostando seu viadinho? Quanto tu queria meu pau no teu rabo heim?


—Ai Sergio! Muito! Me come vai, não para! – eu me explodia em tesão!!! Um simples toque no meu pau e eu gozaria!


Sergio continuava me comendo! A cada estocada, eu pedia mais e cada vez mais subjugado eu ficava, me afirmando como uma vadia. Ele estava adorando, me comia com uma ferocidade que eu nuca vira nem em filmes. Suas coxas estouravam na minha bunda, e o seu saco no meu, que era pequeno perto do dele! Ele me agarrava pelas pernas e costas, mesmo que eu quisesse parar, não tinha mais escolha, só acabaria quando ele mandasse, quando ele terminasse, quando ele estivesse satisfeito.


Pós alguns bons minutos, estava inexplicavelmente entregue! Ele pediu para que eu me deitasse na mesa ali próximo e ficasse de barriga para cima. Joguei minha perna por cima dele, e me virei sem desencaixar sua rola do meu rabo, apoiei a outra perna no seu ombro, ficando em posição de frango assado. Sergio apoiou suas mãos grossas no meu peito, não perdi a oportunidade e peguei uma delas para mamar no seu dedo. Enquanto chupava seu dedo extremamente grosso, ele começou a me fitar com os olhos, senti que era penetrado tanto pelo seu sexo, como pelo seu olhar, ao mesmo tempo em que mamava no seu dedão. Tudo aquilo me fazia me sentir totalmente do amigo de trabalho, entregue, dominado! Ficamos nos olhando olho no olho, no embalo ritmado daquela transa magnífica! Mais um minuto de foda e vi quando gordo cerrou os olhos, deu um urro de prazer digno de um urso, e, nesse momento, senti uma fonte de calor de originando e se alastrando dentro do meu reto, foi quando percebi que Sergio gozara abundantemente dentro do meu rabo!. Sentir aquele leite se espalhando nas minhas entranhas, e ve-lo com alguns espasmos de prazer em cima (e dentro) de mim, fez com que eu gozasse em instantes!!! Me lambuzei com minha porra pelo peito todo. Ficamos mais alguns instantes ali, respirando e recuperando as forças, Sergio estava ofegante, exausto, mas com uma expressão de alivio que eu nunca tinha visto naquele homem. Lentamente, deu um passo para traz e começou a puxar sua rola, agora flácida, de dentro de mim. Me sentei na mesa para poder admirar mais uma vez aquele membro que me proporcionara tanto prazer. Ainda escorria uma certa quantidade de porra da cabeça que brilhava de tão lambuzada que estava, ele limpou com a mão mesmo o resto de porra e vestiu seu short, me olhando fundo nos olhos.

_Bem, tenho que voltar para meu posto, pode aparecer alguém nesse nada!


_Não vejo a hora de repetir a dose!


—Hum... – ele me olhou com um olhar sério, fiquei com medo... – quem sabe eu não precisarei de mais algumas ajudas... – e saiu com um sorriso safado no rosto.


Usei minha própria cueca para limpar o peito, ao sair da mesa, a porra do Sergio escorria pela minha perna! “Nossa!!! Como ele gozou!!!” – pensei ao ver a grande quantidade de esperma que não parava de sair da minha bunda. Após alguns minutos, me vesti, arrumei o cabelo e fui terminar o expediente, com um largo sorriso no rosto a ansiedade de me encontrar novamente com o ele, vontade da minha parte, provavelmente nunca faltará com um colega tão tesudo!


Entre em contato com o editor: (11) 95301-9443
PS: Uma das fotos é o editor do conto, mas eu não sou Sergio ou Lucio, essa é apenas uma história repassada!

FOTOS DE VIGILANTES TESUDOS E GOSTOSO DA INTERNET - PARTE 01








BUNDAS DE MACHO-MACHOS MAIS GOSTOSAS DA INTERNET - PARTE 03







GORDINHOS MAIS GOSTOSOS E PAUZUDOS DA INTERNET - PARTE 04






BUNDAS DE MACHO-MACHOS MAIS GOSTOSAS DA INTERNET - PARTE 02